Escolha uma Página

O ligamento cruzado anterior (LCA) é uma estrutura anatômica, tipo “cordão”, que se localiza no interior da articulação do joelho, de uma forma simplificada liga o osso da coxa (fêmur) ao osso da perna (tíbia), é um tecido fibroso, constituída por fibras de colágeno que juntas formam dois grandes feixes ou podem ser denominadas como bandas.

Ambas apresentam funções diferentes, a banda ântero-medial (menor), que atua nas flexões do joelho acima de 60 graus e é responsável por restringir o movimento da tíbia, evitando que ela seja deslocada para frente em relação ao fêmur, na banda póstero-lateral (maior) que atua na estabilidade desde a extensão total até graus intermediários de flexão de 45 a 60 graus, é responsável por evitar movimentos rotacionais excessivos do joelho.

A lesão do LCA e causada por estiramento ou ruptura das fibras do ligamento, podendo ocorrer de forma completa (95% dos casos), ou de forma parcial, onde somente uma das bandas é rompida e a outra continua íntegra.

O LCA age como estabilizador indispensável na biomecânica do joelho, considerado como estabilizador primário contra a translação anterior da tíbia, também atua como estabilizador secundário na rotação interna excessiva como foi dito acima.

Alguns estudos apresentam que reduz a possibilidade da degeneração articular, visto que proporciona proteção a cartilagem e aos meniscos.

Sintomas

A ruptura do ligamento cruzado anterior (LCA) é uma das lesões mais comuns no joelho, atinge atletas nos esportes de alto desempenho ou indivíduos praticantes de atividade física recreacional.

  • Desaceleração com o pé fixo no solo.
  • Excesso de peso.
  • Atletas de alto desempenho.
  • Trauma direto, recorrente de pancada na área do joelho.
  • Trauma indireto, causado por movimentos rotacionais bruscos. (futebol, basquete e tênis)
  • Instabilidade muscular.
  • Déficit de controle motor.
  • Sintomas comuns:
  • Dor na súbita na região articular
  • Inchaço na região
  • Limitação de movimento
  • Perda de função
  • Dificuldade de apoio no membro no chão
  • Dificuldade de subir e descer escadas
  • Instabilidade

Devido à instabilidade articular o paciente fica mais suscetível a apresentar outras lesões, como as lesões de menisco e da cartilagem, futuramente evoluir para uma artrose de joelho.  

O mais indicado é procurar um profissional especializado para que possa lhe orientar. O diagnóstico Fisioterapêutico é baseado em um conjunto de testes clínicos específicos (Teste de Lachmann, Teste do Pivô-shift e Teste da gaveta anterior) são os mais utilizados.

Exame de imagem: A ressonância magnética pode identificar a lesão de forma clara e especifica.

TRATAMENTO

O ideal é sempre buscar uma fisioterapia especializada, esse tipo de tratamento pode ser abordado tanto de forma conservadora, como de forma cirúrgica. Alguns fatores a serem observados são;

Idade do paciente, ativo para atividade física, presença de falseios corriqueiros, e as expectativas futuras do paciente, são peças chave para a tomada de decisão sobre indicar ou não a cirurgia.

Em casos de pacientes, sem sinais de instabilidade, que não pretendem praticar atividades com riscos de torções ou que não praticam atividades que não requerem grande demanda do joelho no dia a dia, a abordagem conservadora pode ser uma opção a ser considerada.

Caso o tratamento escolhido seja o cirúrgico, a artroscopia é a técnica menos invasiva, cortes pequenos, o ligamento é substituído por um enxerto.

O cirurgião optará pela escolha do melhor enxerto a ser usado, os tendões normalmente utilizados são os tendões dos músculos flexores (semitendíneo e grácil), e tendão patelar. Nos dias de hoje os estudos mostrar que no pós-operatório de LCA os tratamentos duram em média 6 meses a 1ano.

O tratamento conservador e cirúrgico tem como objetivo;

  • Estimular os movimentos.
  • Controle da dor, (terapia combinada).
  • Diminuição inchaço.
  • Melhoria da função.
  • A terapia manual tem o objetivo de melhorar a mobilidade articular.
  • Utilizar recursos de eletrotermofototerapia, (laser de baixa intensidade).
  • Exercícios de fortalecimento muscular, em todo complexo de joelho e quadril.
  • Treino sensório motor e equilíbrio em fase avançada.

No início do tratamento os exercícios para ativação muscular são de extrema importância, podendo ser utilizado eletroestimulação com CORRENTE RUSSA para estimular as fibras musculares de imediato.

Você tem ou conhece alguém que sofre com a LCA?

Agende a sua consulta e descubra qual o melhor tratamento e compartilhe esta informação!