Escolha uma Página

Mas afinal o que é, quais os primeiros sinais e tratamentos contra a condromalácia patelar?

Condromalácia patelar é um desgaste (amolecimento anormal) na cartilagem do joelho, que pode evoluir para a quebra de sua integridade (rachaduras), numa região chamada condilo femoral, que acaba ocasionando dor e inflamação.

Entenda mais!

Ela é caracterizada pelo amolecimento da cartilagem que está logo atrás da patela, no entanto os estudos mais recentes não têm utilizado este termo, e sim Síndrome da Dor Femoropatelar (SDPF). Esta alteração na nomenclatura aconteceu, porque a dor na região anterior (na frente) do joelho não está diretamente ligada ao amolecimento da cartilagem, ou mesmo do desgaste daquela região.

Este diagnóstico é muito comum, a SDPF é um distúrbio musculoesquelético comum que afeta a articulação do joelho, caracterizada por uma instabilidade patelar com seu desenvolvimento multifatorial. Acomete principalmente, corredores, ciclistas, jogadores de tênis e pessoas fisicamente ativas, com maior incidência em adultos jovens e mulheres.

Durante o movimento do joelho (dobrar e esticar) muitas coisas acontecem na articulação, no entanto o principal evento na SDFP é o deslizamento da patela na superfície articular do fêmur, que necessita de bom controle dos músculos da coxa e quadril para manter a pressão da patela distribuída e sem oscilações durante a contração.

O diagnóstico é clínico, baseado na história clínica, testes específicos e testes funcionais. Os exames de imagem tem a função principal de excluir patologias mais graves. Uma avaliação clínica especializada e minuciosa é fundamental para o diagnóstico.

Sintomas

O movimento excessivo e repetitivo, associado com o mau alinhamento da articulação patelofemoral (Ex.: Joelho valgo), podem favorecer uma sobrecarga aumentada na região do joelho provocando a SDPF.

Normalmente o paciente relata dor difusa na parte anterior do joelho, podendo estender até a região posterior após atividades de corrida, saltos, ciclismo, dor durante a subida, ou descida de degraus e rampas. Além de apresentar dor ao ficar longos períodos sentados com os joelhos flexionados, aumentando sensação dolorosa no movimento de ficar de pé.

Em alguns casos a sensibilidade da região anterior do joelho fica aumentada, dificultando e às vezes até impossibilitando movimentos de agachamento, ou de ficar ajoelhado. Crepitações (barulhos) na articulação podem surgir, mas não estão diretamente ligados a quadros dolorosos, e sim por incongruência articular.

Importante dizer, que ser diagnosticado com SDFP NÃO é sentença de incapacidade, ou que você não poderá praticar sua atividade física, pelo contrário, o prognóstico é excelente e os estudos evoluíram muito nos últimos anos.

Tratamento

O tratamento farmacológico com o uso de anti-inflamatórios não-esteroidais e acupuntura podem ser utilizados para o alívio dos sintomas na fase aguda da lesão. Contudo o tratamento fisioterapêutico especializado é o mais indicado, podendo ser iniciado em qualquer fase.

Os estudos mais recentes mostram que o fortalecimento e controle muscular são a chave para um tratamento de sucesso.

A aplicação de terapia manual e eletroterapia podem ser excelentes coadjuvantes, mas trabalhar as demandas musculares e proprioceptivas são fundamentais.

Para o tratamento mais eficaz, a avaliação de simetria de força traz dados importantes para que o fortalecimento seja realizado na intensidade correta e nos grupos musculares necessários. Além disso, análises cinemáticas de gestos esportivos são grandes aliados na determinação do tipo de exercício e treinamento da técnica esportiva.

Este artigo foi útil para você?

Compartilhe, deixe seu comentário e para mais informações entre em contato conosco.