Escolha uma Página

A cefaleia tensional é o tipo mais comum de dor de cabeça, relacionada às tensões e desordens da coluna cervical. É percebida ao longo da vida por mais de 90% dos pacientes com dor de cabeça.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia, cerca de 38% a 74% dos brasileiros sofrem com cefaleia tensional. Ainda no Brasil, as dores de cabeça, geram um comprometimento no desempenho e participação no trabalho, prejudicando inclusive a qualidade de vida do paciente.

A cefaleia do tipo tensional é considerada um dos principais problemas de saúde pela Organização Mundial de Saúde (OMS) devido a sua alta prevalência e grande impacto socioeconômico.

Atinge cerca de 40% da população mundial. Esta patologia é mais frequente entre as mulheres e surge especialmente entre os 30 a 39 anos.

Estudos recentes mostram que a dor referida é originada pelo aumento da tensão muscular, específica nos músculos das costas, do próprio pescoço e da cabeça. Estes pontos dolorosos são conhecidos como pontos gatilhos miofasciais.

Sinais e sintomas

Os principais sintomas para identificar a cefaleia do tipo tensional é ter dores de cabeça recorrentes, em menos de 15 dias ao mês.

Os pontos dolorosos, conhecidos como gatilhos miofasciais estão na região do pescoço, é percebida em uma ou mais regiões da cabeça.

De acordo com os critérios, os diagnósticos estabelecidos pela International Headache Society – Sociedade Internacional de Cefaleias, a cefaleia tensional é caracterizada por 10 episódios em média por mês. Cada uma com duração entre 30 minutos e, a dor, deve incluir pelo menos 2 das seguintes características:

Localização bilateral, qualidade não pulsátil, intensidade leve a moderada e não agravada pela atividade física de rotina.

Tratamento

A cefaleia do tipo tensional pode estar ligada aos pontos dos gatilhos de dor, como também por desordens da região da coluna cervical. Muitos estudos comprovam que existe uma significante melhora na intensidade da dor em pacientes que são submetidos ao tratamento fisioterapêutico especializados.

A terapia manual, as técnicas específicas de mobilização torácica e cervical assim como a Quiropraxia, apresentou resultados significativos para os pacientes com cefaleia do tipo tensional, porém os melhores resultados foram obtidos quando mescladas as técnicas com o exercício para a melhora da mobilidade e do fortalecimento dos músculos tensionados.

Este artigo foi útil para você? Compartilhe e deixe seu comentário.

Precisa de uma avaliação completa? Agende sua consulta.