Escolha uma Página

A fibromialgia é uma patologia relacionada ao funcionamento do sistema nervoso central que, em 90% dos casos, atinge mulheres entre 35 e 50 anos. Todavia, os homens não estão imunes a ela. Ansiedade, depressão e síndrome do intestino irritável são muito comuns em pacientes com fibromialgia.

Continue a leitura completa e saiba mais sobre os sintomas, diagnósticos e tratamentos!

A Fibromialgia é uma síndrome reumatológica, caracterizada pela presença de sinais e sintomas como: a dor crônica generalizada, hiperalgesia (exacerbação da sensibilidade à dor) e alodínea (dor devido a um estímulo incapaz de provocar dor em situações normais).

Vários outros sintomas são oriundos da fibromialgia, como:

  • Fadiga
  • Distúrbios do sono
  • Rigidez matinal
  • Cefaleias crônicas/ enxaquecas
  • Tontura / Vertigem
  • Dor abdominal difusa

Como diagnosticar a fibromialgia?

Não há exames específicos para o diagnóstico da fibromialgia como o exame de sangue ou exames por imagem. Por isso, utilizamos os diagnósticos formulados pelo Colégio Americano de Reumatologia, que desde 1990 buscam decifrar a melhor forma de diagnosticar o paciente com fibromialgia.

Alguns pacientes com fibromialgia já passaram por avaliações de identificação dos 18 pontos dolorosos. Na presença de 11 dos 18 pontos, o paciente era diagnosticado com fibromialgia.

Esta forma de avaliar já não deveria ser utilizada para diagnosticar desde 2010, ela NÃO é mais aceita!

Em 2016 nós tivemos uma atualização do Colégio Americano de Reumatologia sobre como fazer o diagnóstico e a melhor forma é através de um questionário específico que analisa:

Locais da dor (dor generalizada tem que estar presente);

  • Nível de fadiga;
  • Problemas cognitivos ou de memória;
  • Acorda cansado ou não recuperado;
  • Dor ou câimbras na região anterior do abdômen;
  • Depressão;

Estes sintomas precisam estar presentes no paciente em pelo menos há três meses! A fibromialgia é uma condição que segue um “contínuo”.

Qual o melhor tratamento?

O tratamento bem conduzido é fundamental para a recuperação do paciente com fibromialgia.

Não existe um tipo de tratamento que sozinho trará o benefício esperado. O melhor tratamento é em COMBO.

Exemplo de COMBO: Unir o tratamento medicamentoso à fisioterapia especializada, ao exercício físico e a melhora dos hábitos! Como:

  1. Melhorar o sono
  2. Alimentação
  3. Controlar o estresse.
  4. Terapia cognitivo-comportamental e Ioga / Tai Chi, são também muito recomendadas.

 Temos visto que quando os pacientes com fibromialgia conseguem entrar em um bom programa de reabilitação em COMBO, a melhora acontece!

É importante respeitar o que o paciente gosta de fazer e readaptar sua rotina.

Como o exercício é a principal intervenção, é muito importante que o paciente goste de fazer o exercício. Sabemos que cada pessoa prefere um tipo de atividade, alguns gostam do Pilates, outros da musculação, outros da natação, mas o que mais importa é a prática regular de exercícios.

ATENÇÃO! Não é recomendada a fisioterapia com TENS (choquinho), ultrassom, massagens. Fique de olho, pois estes tratamentos não ajudam!

 

Este artigo foi útil para você?

Precisa de uma avaliação? Entre em contato com a Pró-Columna!